COMITIVA REGIONAL REÚNE-SE COM SECRETÁRIO DE GOVERNANÇA DO ESTADO. ASSUNTO: ENCERRAMENTO DAS ATIVIDADES DA EGR.
O Presidente do Legislativo Luciano Moresco, representando a AVAT, integrou uma comitiva do Vale do Taquari em uma reunião na tarde de quinta-feira dia 30 de maio com o Secretário estadual de Governança e Gestão Estratégica (SGGE) Cláudio Gastal. Ouviram do Secretário que “a EGR não tem razão de existir”. A expectativa da região era ter mais clareza de como e quando isso acontecerá. Nesse aspecto, o resultado foi decepcionante para os líderes regionais, pois não foi apresentado um prazo e como essa retirada da EGR se dará.
Por outro lado, Gastal se comprometeu em buscar informações na secretaria dos transportes quanto a condição do DAER e, principalmente, da receita, despesas e planos de investimento da EGR. Com os indicadores em mãos, prometeu agendar uma visita ao Vale do Taquari e apresentar um plano de investimentos dos projetos em tramitação na autarquia.
A Presidente da ACI-E Renata Gallioto cobrou mais agilidade do governo para definição sobre manutenção e obras de infraestrutura nas rodovias. “Nos envergonha ter serviços tão precários. Os trabalhadores e empresários se dedicam, pagam impostos, pagam pedágios e somos esquecidos. Estamos com nariz de palhaço? Ao longo dos últimos anos, participamos de inúmeras reuniões, nos ouvem e nada acontece. Nos ignoram. A situação é grave. Tiram o dinheiro do povo, para nada acontecer. Não queremos ter de fechar pedágios e queimar pneus para sermos atendidos”.
Luciano Moresco, representando a AVAT, disse que a diferença do modelo atual está no contrato. O principal está nos serviços e a escolha depende da menor tarifa. Na época do governo Britto, quando a SULVIAS atuava no Vale, o caráter era arrecadatório, pois estabelecia uma outorga. Na concorrência, a empresa interessada deveria pagar ao estado pela exploração das praças. “Nos primeiros anos da EGR foi feito mais do que em 15 anos da Sulvias” comparou o Presidente do Legislativo Encantadense. Representando a AVAT, Luciano foi Presidente do Conselho Regional de Pedágios Corepe). “Começou bem. Tínhamos um contato ativo com a autarquia. Apresentávamos as prioridades de obras. Em Encantado, fomos atendidos com a rótula da ERS-332, local em que acidentes com mortes eram constantes.” No caminho, o intuito da EGR se perdeu.
De acordo com o Secretário de Governança, o tempo médio para preparar um programa de concessão é de oito meses. Cerca de 700 quilômetros são administrados pela EGR. Considerou que lançar um modelo único para substituir com agilidade essa metragem é um erro estratégico.
A comitiva regional foi composta pelo Vereador Luciano Moresco, representando a AVAT, pelos Prefeitos de Teutônia, Arroio do Meio e Lajeado. Representando do Codevat Cíntia Agostini, representantes da Câmara da Indústria e Comércio, Paulo Barth, Adaílton Cé e Renata Gallioto. Por parte do Estado participaram membros do DAER e equipe técnica da SGGE.
* Parte da matéria foi extraída do Jornal A Hora e foto de Filipe Faleiro.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Símbolo RV Digital
Desenvolvido por:
Logomarca RV Digital