.
VEREADORES APOIAM A CAUSA DOS PROFESSORES
Com a Câmara de Vereadores tomada por professores, alunos e pais, a Sessão Legislativa da segunda-feira (25) foi repleta de manifestações favoráveis à greve do Magistério Público Estadual iniciada na última semana, tendo em vista o pacote do Governo do Estado que implica em redução de várias conquistas da categoria e que há aproximadamente 40 meses possui seus salários parcelados ou pagos em datas atrasadas, por vários governos.
A professora Janice Echer, falou em nome dos professores, assim como a professora Márcia Graciolla que atentaram para a necessidade de pressionar os deputados através de cada vereador do Legislativo
Houve várias manifestações de solidariedade entre o público presente, portando cartazes, inclusive da presidente do Grêmio Estudantil do Instituto Scalabrini, que usou da Tribuna para se manifestar, esclarecendo que os alunos ali estavam para apoiar os professores por livre e espontânea vontade.
Os vereadores, através do presidente Luciano Moresco propuseram uma Moção de Apoio aos professores, assinada por todos e que será entregue a cada deputado na própria Assembleia Legislativa, na próxima 4ª feira quando estarão acompanhando alunos e professores na última etapa do projeto Democracia na Escola.
MOÇÃO DE APOIO
LUCIANO JOSÉ MORESCO, vereador da Bancada do Partido dos Trabalhadores, com assento nesta Casa, com adesão dos demais vereadores, solicitou MOÇÃO DE APOIO DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES à GREVE DO MAGISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL INICIADA NESTE MÊS DE NOVEMBRO.
JUSTIFICATIVA
É público e notória a desvalorização do Magistério Público Estadual do Rio Grande do Sul, que vem se acentuando há anos, a cada dia que passa, a cada parcelamento de salário, a cada xingamento ou agressão em sala de aula e também pela escassez de investimentos e oportunidades para a sua qualificação profissional que se transformam em sério risco para a educação que se oferece aos alunos. Esta câmara de Vereadores não poderia deixar de manifestar seu apoio a esta categoria que se opõe ao descaso do governo pela falta de espaço e de bom senso em dialogar com os professores, e de certa forma com toda a sociedade. Mais uma vez não se olha para os problemas estruturais do Estado e se elege o funcionalismo estadual como a causa dos problemas enfrentados ao longo dos períodos que se sucedem.
Enquanto nós, nesta Casa, em parceria com a comunidade escolar evidenciamos o projeto Democracia na Escola e, juntamente com o Executivo e outras entidades representativas, discutimos investimentos na educação, ciência e tecnologia, não podemos aceitar calados, covardemente, este descomprometimento com aquela que deve ser a grande revolução que dará a este país o tamanho que ele merece, que é a EDUCAÇÃO. Não podemos aceitar que a importância da Educação só seja tema de campanhas políticas, ela tem que acontecer na prática, no dia a dia, oportunizando aos nossos adolescentes e jovens acesso a uma educação de qualidade conforme prevê o Art. 205 da Constituição Federal, que diz: “A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”.
Manifestamos também repúdio ao pacote de medidas encaminhadas pelo Exmo. Governador que propõe sucatear ainda mais (se é que isso é possível), a educação do nosso Estado, que já conta com uma avaliação negativa (IDEB) onde ficamos abaixo da meta estabelecida, abaixo da média nacional e a pior avaliação dos estados da região Sul, resultado do caos estabelecido no Magistério que sequer consegue manter a dignidade profissional, tendo em vista as atuais condições salariais: educadores com contrato de 40h semanais não podem receber vencimento básico abaixo de R$ 2.455,35 no Brasil (piso nacional), entretanto, no Rio Grande do Sul, considerando a mesma carga horária, o básico inicial é de R$ 1.260,16. A última parcela de 13,72% do reajuste concedido à categoria foi em 2014.
Defendemos que a revolução neste país deva ser prioritariamente enfatizada pela Educação qualificada e valorizada não pelas armas, pela força e pelo autoritarismo.
Estamos com os professores e com toda a comunidade escolar estadual (alunos e pais), unidos e solidários. Vamos dar um basta a este descaso e viabilizar sobretudo melhores dias para o futuro da educação da nossa sociedade.
Cópia deste documento será remetida para todos os deputados que ocupam assento na Assembleia.
Câmara Municipal de Vereadores de Encantado, 21 de novembro de 2019.
LUCIANO J. MORESCO, ANDRESA C. DE SOUZA CELSO CAUDURO, DIEGO A. DA ROSA PRETTO, MARINO E. DEVES, VALDECIR GONZATTI, MOACIR L. TRAMONTINI, SANDER BERTOZZI, VALDECIR CARDOSO, CLÁUDIO R. DA SILVA e JAQUELINE B. TABORDA.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Símbolo RV Digital
Desenvolvido por:
Logomarca RV Digital